QUANDO AMAR SIGNIFICA SOFRER

Olá meus caros, hoje vou retomar um tema do qual já comentei em meu blog anteriormente, contudo, na eminência de sua eficácia, faço questão de comentar aquilo que foi dito de forma à conduzir o maior número possível de interessados a uma nova atitude de vida no relacionamento. Parece confuso?!? Nada disso, a intenção é justamente descomplicar. Leia com calma.

Uma infância onde falta certa experiência consistente de ‘ternura emocional incondicional’ e de aceitação social por essa criança ser simplesmente ‘ela mesma’, é que gera mulheres e homens que vivem buscando substituir a falta de Amor por relacionamentos e trabalhos  de uma forma OBSESSIVA E COMPULSIVA. Além de se tornarem propensos dependentes de certos tipos de alimentos (principalmente de doces) ou pior álcool e/ou drogas, etc… Entretanto é mais comum vermos mulheres obsessivas com relacionamentos e homens com o trabalho, esporte ou até hobbies, isso é compreensível devido a fatores culturais e biológicos.

A estes indivíduos que “Amam Demais”, ou melhor, que são obcecados por seus parceiros coincidem algumas características básicas, veja se você se identifica com algumas delas ou conhece alguém assim:
1. Escolhem parceiros na sua maioria distantes, frios, grosseiros, arrogantes, egoístas e/ou carentes, inseguros e ciumentos;
2. Estes homens e mulheres que “Amam Demais” são indivíduos de autoestima baixa;
3. No fundo de seus corações não acreditam que merecem ser verdadeiramente felizes;
4. Têm uma necessidade desesperadora de controlar seus parceiros, demonstrando serem muito prestativos, mas, às vezes, deixam transparecer o seu lado inseguro e ciumento que está por trás deste comportamento;
5. Têm muito medo de serem abandonados, por isso se desdobram, se sacrificam para agradar o parceiro e muitas vezes até se prejudicam;
6. Acabam sempre se responsabilizando por mais de 50% das responsabilidades, das culpas e das falhas no relacionamento. Mesmo cientes de que são inocentes;
7. Acabam  sempre desculpando a melancolia, o mau humor, a indiferença ou o desprezo do seu parceiro, justificando-os com alguma explicação qualquer, tornando-o um coitadinho;
8. Estão sempre fazendo o papel de terapeuta e/ou pai ou mãe do(a) parceiro(a),  querendo ajudá-lo;
9. Acreditam que se forem atraentes e amáveis o bastante, seu parceiro irá mudar por eles;
10. Não conseguem  ter atração por homens ou mulheres gentis, estáveis, seguros e que estão realmente interessados neles. Acham estes homens ou mulheres sem graça, enfadonhos, bobos e/ou sufocantes.

Resumindo, o indivíduo que “Ama demais” vive em função do outro e se desvaloriza.

É aí que você pensa: “Sei quem é assim, e agora?” Agora é que vem a parte simples, convidamos você que se identifica em alguma destas características ou que conhece alguém assim a conhecer o Grupo de Apoio a Mulheres e Homens que “Amam Demais”, pois estes padrões negativos e doentios de se relacionar que aparentemente lhe trazem momentos esporádicos de grande felicidade e sempre terminam em decepção, frustração e dor, colocando sua saúde emocional e até física em desequilíbrio.

Vá em frente, faça contato e garanta sua vaga.

2 thoughts on “QUANDO AMAR SIGNIFICA SOFRER”

  1. Esta duro a perca da minha mãe e todos os problemas que aconteceram entre a doença dela a morte e a ausência, tudo junto me causa muita tristeza e deprime meus dias. Quero mudar mas estou precisando de ajuda sozinha esta difícil

    1. Olá querida Patrícia! Passar por todo o processo desde à doença até a morte de uma mãe especialmente é um processo muito doloroso mesmo e difícil. Mas você precisará passar pelos estágios do luto. Pesquise à respeito, até chegar na aceitação da situação e resignificação de tudo no final para seguir em frente. Se quiser que eu a ajude mais faça contato através do meu site http://www.deborafreschi.com.br ou WhatsApp (19) 999209408. Abraços e força.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*